domingo, novembro 15, 2009

Testamento, Morreria comigo ?

As informações que recebo de manhã...
Logo ao acordar tenho dificuldade em diferenciar o real do fictício [imaginário - "ficticionário"]
Como exemplo, o "apagão" em todo Brasil parecia imaginário, mas a batida de abacaxi esperando-me na geladeira deveria ser real!

"Triste, era ser a verdade o oposto, a batida não existia e o apagão era real; [não] encontrei-me [estava escuro], sem luz e comecei este post em papel e caneta."

"Por isso temendo as surpresas que essa cabeça me apronta, num momento de lucidez [ao menos esperando isto real], escrevendo meu testamento, prevenindo o futuro de maus momentos..."



TESTAMENTO PARTICULAR:


Eu, Rodrigo Cavaleiro, de alcunha Mininu Nu, brasileiro, humano até que se prove o contrário [e como todos, um pouco doido, descrição], domiciliado e residente nesta cidade, Rio de Janeiro, vindo de um pai e nascido de uma mãe ainda vivos na presente data, filho, amigo, colega, de ainda vivos e outros já falecidos, solteiro que buscava compromisso, casado enquanto vivia com a alegria, e sem essa veio a ausentar-se deste mundo, ter com Deus, por isso posto, venho declarar os bens.

Livre de qualquer induzimento ou coação, resolvo lavrar o presente testamento, público para dispor de meus bens para após a minha morte [se é que não já estou].
Para meu testamenteiro, nomeio os blogueiros do selo abaixo e os recomendados, qualificado, ao qual peço que cumpram e façam cumprir as presentes disposições de minha última vontade.

- Saibam, tantos quantos virem - este público instrumento particular, ou deles tiverem notícias, que: estes dias destes meses do ano de dois mil e muitos, que escrevo, e as testemunhas idôneas, idosas, idiotas, idílio, ou nem tanto nenhuma das opções, que a final nomeadas ao nascer por seus próprios pais e ao final assinadas em comentário, expressam convocadas a assistirem este ato.

Reconhecido de mim pelos próprios vocês, dou fé e a alguns dou dúvida, e das mesmas testemunhas, perante as quais, encontram-se em seu perfeito juízo e entendimento [assim espero].
Dito que desejava fazer o meu testamento, e minhas notas, as declarações, última vontade, conforme minuta, tal como nela se contem e se concretizam nas disposições seguintes: (dispor a respeito do patrimônio ou fazer outras disposições); o Sr. Mininu Nu. Aqui se declaram, o derradeiro e legitimo desejo.


Em vida, tive muito não, mas vim a desfrutar do pouco conforme se seguiu a vida. Ao que pareço velho, com textos e poesias, diferente do mundo atual moderno, concreto e frio.
Sem delonga passo a descrever o que me resta, neste tão longo e breve tempo de vida, e é para isso que estão aqui, vocês:

- Para deixar meu laptop, busquei na mente alguém que o fizesse uso e não o tivesse. Escolhi então meu pai.
- Meu celular, que já foi instrumento de desejo de salteadores e facínoras, reservo a rifa entre os nomes lá de baixo, para quem deixo saudade e, finalmente um celular.
- Meus monitores, que acumulei a fim construir uma LanHouse, deixo as ONG´s quaisquer que possam servir a ensinar.
- Minhas roupas, ao exército da salvação devem doar.

Por antes do término de meus bens, gostaria de dizer-lhes o seguinte:

Deixarei para alguns saudade, e certamente esperaria que a tivessem. Para outras, certamente mais, deixarei a lembrança, são estas que descrevo: Castelan, Maureen, C. Lima, C. Martins, Maris, Scomação, Barreto, Moacir, V. Camões, J.Veras, E. Fontelene, Arjuna e de todas elas, mesmo os que poderiam ser vistos masculinos, assim descrevo mulher. Deixo a saudade, que aperte vossos corações e que guardem de mim a lembrança, e que pelo menos as boas, pois apesar de poucas haveriam de existir.


Também a essas, deixo um tão incrível item. O que de mais valoroso e arduo tive em vida! Para vocês acima, deixo minhas dívidas...


E sem mais restar, o livro, deixo [`]a humanidade...
Para que um dia olhem para ele, só ele famoso [visto que estarei morto], com alegria!


Nada mais tendo a lavrar, dou por encerrado o presente testamento.
Estando EU em perfeito juízo e em pleno gozo de minhas faculdades intelectuais, na presença de testemunhas a seguir, qualificadas:
Das testemunhas,
Para servir de testemunha, comente no post...

4 comentários:

dandara disse...

Devido a ausência da minha pessoa no testamento, não preciso guardar as lembranças [poucas]boas e o mais importante as dívidas.
Todavia, apesar de bizarro o pensamento pós morte, seu ócio é criativo.

=D

Tatiane disse...

Saudades e lembranças jamais deixaram de existir,pois vc esta gravado em mim! Existe em minha mente no setor de grandes emoções um caixa de cor rosa com bolinhas brancas fechada com laço pink,eu a guardo na última prateleira longe de umidades ou qualquer outro fator que posso deteriorar (distância),todas as manhãs ao abrir os olhos penso : o que estara fazendo? onde estará? então volto a fechar os olhos como em uma louca busca por vc, me remeto então a este setor onde passo o resto do meu dia a adimirar cada detalhe, cada sorriso, olhar, e bicos (rs).Confesso que nunca uma ligação para minha operadora demorou tanto tempo!!!(kkkkk)embora vc saíba do meu grande defeito (individualista)ainda sim nesta manhã foi bom saber que sou o primeiro dentre os 11 que tocam seu coração...
milhares de beijos!!!!!!
Tatiane Castelan

Eduarda Ramos disse...

Testamento?! Fabuloso.
Eu fico confusa com o que escreve, por tantas vezes eu volto algumas partes, não sei, fico voando quando leio aqui. Mas eu gosto, me da por muitas vezes vontade de escrever, intertextualizar com tudo lido por mim aqui.

:)

prilanter disse...

Que máximo!!!! Uma desconhecida pode ser testemunha??? "Por vezes imaginei que eu pudesse vir a me matar, mas lendo seu post percebi que não conseguiria fazer um testamento tão belo, sendo assim... desisti."