quinta-feira, dezembro 31, 2009

Retrospectiva !!!


Li uma retrospectiva ainda antes do natal em um outro blog, resolvi fazer o meu:

janeiro: não lembro, fevereiro: não lembro... março: não lembro... abril, maio, junho, julho, agosto: não lembro... setembro, não lembro também... outubro, fiz aniversário! novembro: ixi já acabou... dezembro: Estou escrevendo o post =)

Um post inútil: post sem uso...

terça-feira, dezembro 29, 2009

"Tirinhas" de conhecimento empírico... 2

Desta vez o conhecimento empírico falhou, não há como negar que temos pais...
Esta é para você e mim:

"Filho feio não tem pai..."

Diz minha certidão de nascimento, Lindinete e Paulo Jorge... como é que não tenho?!
Como está na sua?

De contra partida, mais uma que apesar de um pouco promíscua, é verdade puríssima:

"Opinião é igual 'bunda', todos temos, dá quem quer..."

Deixo as interpretações para vocês... =)



[Formando opinião, por Mininu Nu]


segunda-feira, dezembro 28, 2009

A interação, interativa, da interatividade, INTELIGENTE...

[ou não]


As pessoas que à acaso clicam no link do meu blog. Agradeço-as!! Mesmo, imensamente.
Mas dizia um provérbio antigo, ou frase bíbloga ou algo similar:

"Nem só de contador viverá o blog..."

Por isso, após esses meses que tenho de vida reuni o que seria o mínimo ecessário para a interação, Leitor x Escritor. Apresentado isso, vamos a elas:

- Um pequeno player para que ouça as músicas que fazem parte de mim... recomendo!
[Ele funcionará, basta clicar no Play e aguardar o carregamento da música...]
- Outro mínimo contador de comentários e post.
[Ferramenta bem interessante, valida mais para mim do que para você, é estatística...]
- Um pequeno formulário para que enviem perguntas diretamente a mim sem necessidade de identificação.
[Formulário exótico, nunca fiz pergunta, mas já responde algumas, experimente...]
- A ferramenta de conversa da moda [MSN] acredite só clicar que eu recebo seu recado.
[Poderá váriar o funcionamento de acordo com o seu browser...]
- Identificador de pessoas On-Line no Blog, que raro sair do 1 ou 2...
[Pensando bem, isso realmente não serve de interação, poderei remover...] REMOVIDO
- Um contador de visitas, 2000+, doidos...
[Interessante, pois trata de um estímulo aos visitantes o retorno e a mim igualmente...]
- Meus queridos seguidores... solidários ao ócio....
[Muitos deles tem blogs maravilhosos, recomendo uma visita...]
- Sobre o autor, pois não me escondo, Orkut e E-mail expostos...
[Adicione-me, gosto de conversas inteligentes...]
- A cronologia dos post! Desde o início... [Sim, ali pode-se enxergar as pequenas pérolas e não fartar-se com as enormes crônicas...]
- E finalmente as referências dos Post´s, agora funcionando de forma objetiva.
[SIM! Agora organizado por pequenos assuntos, experimente algum...]

Agora que já conhecem as opções de interatividade do Blog, deixarei a critério de vocês utilizarem. Venho apenas resaltar que, os posts ou crônicas ou pensamentos sociais que geram sequência, inicialmente serão todos publicados aqui, após a conclusão, o Post de nº1, o primeiro, conterá link para as demais sequências que ficarão armazenadas em um segundo blog meu, um com menos critério de organização... [como poderão observar na Crônica anterior escrita por mim e Stella.]

Desejando que aproveitem a nova direção do blog =)
Um Beijo no Pé !

sexta-feira, dezembro 25, 2009

o Natal...e a População em situação de rua...

Ainda que muito longe do que eu sou, não me custa argumentar o respeito. O primeiro passo de um desejo de ser alguém melhor e quem sabe fazer a diferença... Mesmo que por enquanto eu viva no egoismo...
Eu nunca gostei de datas comemorativas, inclusive meu aniversário, até que não tenho muitos amigos, mas nessas datas em específico serve para avaliar o que há para comemorar, normalmente nada... então fecho-me em meu pequeno mundo e sobrevivo...


Como será o Natal !?


A saúde perde critérios e exigências, pelas dificuldades do caminho... manter-se vivo e alimentado bastaria. 'Sujeitos' aos efeitos climáticos, frio, vento, chuva, de anticorpos escravos do trabalho. A situação de rua, Como será o Natal !? Todos nós fechados em nossas casas, à farta sem aproximar-se da janela.

Acreditando você, ou não, mas existem pessoas de formações melhores que as nossas, de cultura, títulos e graduações. Enquanto desprendia conhecimento com o MSF - Médicos Sem Fronteiras, pude conhecer essa realidade. O convívio da rua na rua.
O ser humano é naturalmente emotivo, e aposto que alguém já sentiu a vontade de deixar a vida, entregar-se ao 'destino'... e para alguns isso virou realidade.
Faltam oportunidades, mas, mais que isso. Falta uma palavra que não pode ser definida, apostaria confiança, auto-estima... falta o que não se pode retornar para quem perdeu tudo na vida, família? companheiro[a][s], até mesmo o dinheiro, até a expulsão a força, a falta de condição... Como será o Natal !?

Agora deixe-me voltar a casa, fechar as cortinas da janela pois o egoismo, faz-me não preocupar com a janela...


Para quem quiser ler um pouco mais... o próximo post:
[Lembrando que este abaixo será direcionado a outro blog, o backup da memória].

" As escolhas... "

[Pensamentos sociais, por Mininu Nu]

...que o NATAL seja condizente com suas ações, desejo o mesmo para o ANO NOVO...

quarta-feira, dezembro 23, 2009

Infeliz Natal e Inóspito Ano Novo

Acordei de mau humor, e representei da seguinte forma:

## Infeliz Natal e Inóspito Ano Novo ##


O avesso de qualquer desejo combina melhor com o receio das pessoas que aqui vivem. É ousado e excessivo dizer que somos bons e deveríamos comemorar, não há palavras bonitas para quem está a destruir e deplorar.
Vamos viver dos mitos, da falsa esperança, imagens criadas para confortar e calar os poucos que questionam.
Um velho gordo com saco vermelho cheio de contrabando, explorando animais em extinção para puxar um trenó pelo mundo afora, De uma cultura que nem mesmo é nossa.

A minha versão de natal é carregada de raiva, nos olhos de quem assiste a maldade e a covardia dos reis parlamentares; de fome, de quem vive nas esquinas e não tem onde se abrigar; de medo, pois a cada dia que amanhece o perigo retorna em violência; de remorso, a culpa que corroí as mentes; de frieza, das atrocidades que não fazem efeito sobre a consciência.




Que permanecesse o Bom velinho até a cronologia seguinte, o evento da queima, representação de um inferno qualquer... ‘queima de fogos, queima os cigarros, queima a carne em churrasco, queima a consciência, queima a liberdade, queima florestas, queima de arquivo, queima a vontade, queima a pólvora que incendeia em brilho toda representação, queima de fogos...’ vestem-se de branco para disfarçar-se e não serem reconhecidos para quando chegar a hora.

E da cor nada representa, mas de onde vem essa festa mesmo? Chamamos ‘réveillon’ palavra francesa, e por lá a significância das cores não é a mesma... ‘Festa com baile e ceia na véspera do ano-bom. A Igualdade é Branca’

Pobres... Por acaso não sabem que o ano seguinte será pior que o atual, calados aguardam com falsas esperanças... O ano novo é inóspito a quem não tem poder $$.


Desejo um Infeliz Natal E um Inóspito Ano Novo.


[Fim de festa, por Rodrigo Cavaleiro – Mininu Nu]

terça-feira, dezembro 22, 2009

Cartinha para Papai Noel...



Querido senhor velinho, Papai Noel, como este ano fui um bom mininu nu, estou escrevendo para contar os meus desejos para que possa presentear-me.


Mas, antes de qualquer imensa lista, deixe-me dizer o que não quero; 'Não quero brinquedos de plástico, não quero roupa, não quero livros...' Eu gosto de bichos, quero uma hiena, talvez um jacaré, aceito algum outro reptil que seja assustador; alguma arma de simulação de combate, que possa atirar projeteis de tinta ou chumbinho; aceito também instrumentos, uma guitarra SG, um órgão clássico, um violoncelo, algemas, enforacadores de couro, velas, ou um Tripáliun![Instrumento de tortura medieval]

Faça saber ao senhor de bochechas rosadas, que muitas coisas fariam-me feliz, inclusive poderia tornar real algumas pessoas-chave do meu engrandecimento emocional e cultural; Castelan, Maris... aceito também a versão reduzida e/ou inflável dessas citadas.

Pois então fiscal da natureza vestido de vermelho, [dessa forma elimina-se Roberto Carlos que só faz especial final de ano], como não tenho chaminé, deixarei a janela aberta, os cachorros presos, uma seta indicativa de luzes presa no muro rosa, o espelho no teto para que possa observar a entrada, whisky liberado a noite inteira, mas se ainda estiver de serviço, deixo um chá, chá de cogumelo, deixo também disponível algumas auxiliares de descontração física, loiras e ruivas de pele branca enquanto repouso na cama redonda.

Desculpe-me pelas parte subjetivas da cartinha, sei contudo que sua faculdade de psicologia a fará entender. =]

Tudo isso para que perceba que mininu bom fui, nu E deixe-me a lembrança que me fará feliz!


[Cartinha pro Velho, por Mininu Nu]

segunda-feira, dezembro 21, 2009

Minha casa, minha vida...

Esse é o famoso projeto da Caixa Econômica Federal, que tem por objetivo fornecer meios, possibilidades de compra do 1º imóvel.
Estou participando desse projeto com a minha irmã. Assumimos um financiamento imobiliário, uma pequena casa em vila no bairro de Campo Grande, que lembrou-me casuarina, a música.
"Minha carne é de carnaval
Meu coração é igual
Aqueles que tem uma seta
e quatro letras de amor
Por isso onde quer
que eu ande qualquer pedaço eu faço
Um campo grande"

Hoje, dia 10 de dezembro veio até a empresa o sindicato dos funcionários de telemarketing. Que com muita cara de pau ignorou o fato de que nossas carteira de trabalho estão assinadas com um categoria diferente da função exercida. Com o salário menor seria impossível ou impraticável participar do projeto citado. Mas, vale as aparências, o fingimento de fazer bem cala a muitos.

Agora após o desabafo, os trocadilhos... em 2 partes...


Sarcasmo e romance...

É uma relação por igual troca, 'minha casa sua vida', passarei a vida pagando mesmo... Mas compensaria e seria gratificante, visto os aspectos do romance, 'sua vida, minha casa'... Não mais o pensamento dividiria a pequena casa, mas traria sentimento, fiz morada, em você...

domingo, dezembro 20, 2009

O número do tempo...

Há anos eu a conheço, e gostei da maior parte desse tempo. E por aqui só havia pensado no tempo [vez em quando eu penso]. Já que a referência é essa, usarei o número sete, que faz importância em quantificar o tempo, talvez seja até um número cabalístico.


São sete;
7ª arte,
[cinema]
7 notas de monitoria da Oi,
Windows 7,
7 renas,
[houve redução de funcionários na empresa natalina]
7 vezes,
[CD do O Rappa]
7 trômbetas do apocalipse,
7 chifres da besta,
7 cordas de violão,
7 dias da semana,
7 notas músicais,
7 dias da criação,
7 sacramentos,
Jogo dos 7 erros,
7 envelopes cor laranja da Texuco,
7 cores primárias,
7 pecados capitais,

7 anos que eu a conheço =)


...Com carinho para ela...
[Pensado por ai, por Mininu Nu]

segunda-feira, dezembro 14, 2009

Pequenos valores...


“Ainda falta descobrir a serenidade.

Ainda falta dominar a ansiedade e aprender a esperar.
Ainda me falta pacificar, deixando o coração ficar mudo.
Ainda falta aprender quase tudo.”

Anna Duarte

[Para re-lembrar, Mininu Nu]

Crônica [parte A-1/3]

1. Descobrindo o interior
a. Prólogo

# Local

Era próximo do término do dia, o céu já escurecia, poucas nuvens pairavam, ainda assim o brilho das estrelas era fraco, havia neblina subindo com o vento e assobiando pelo local alto que era, tornando o clima frio, porém agradável, na entre-luz a vida gritava, acendiam e ascendiam, grilos e vaga-lumes, e uma coruja anuncia o início da noite. A grama úmida e baixa formando um círculo, como uma praça, outras plantas de tamanhos variados ao redor, a terra macia as abrigava e acolhia quem estivesse no ambiente, vivo ou não. Iluminados pela Lua.

# Introdução ao diálogo

Naquele local, dois seres, ali [estagnados, estáticos], fitam o olhar um do outro, e em instantâneo reconhecimento de que não pertenciam àquele lugar. De iniciativa mútua, aproximaram-se eles e durante o percurso pouco olharam um ao outro, porque nesse momento o importante não era o físico, a beleza, o corpo esbelto ou não, os cabelos despenteados e ao vento. E então preservaram suas identidades, eram até então, compreensivos com o que e quem estava à frente.

Não foi necessária a apresentação, estavam livres de qualquer preconceito, não havia inibição alguma. Como já íntimos, em pouco mais de algumas horas conversaram.

# Diálogo

- "Dizia em voz baixa, como em sussurros para o vento: "São coisas ruins, que não merecem minha lembrança. É porque é doloroso lembrar. Arrancá-las de mim machucaria, sou fraca diante de qualquer olhar apurado. Não compreendo...”

Abafou a voz e o que não merecia lembrança, sufocou todo o tumulto no que julgava ser a
escuridão de si. E de repente, de forma similar a letal, deixou escapar toda a escuridão, como se fosse libertar do âmago a iluminação.



domingo, dezembro 13, 2009

Postagens...

Eu tive uma aula, em que me iluminou escrever... cometaram também sobre as injustiças e outras concepções da vida... obvio que passou pelo início, em alguns pontos de vistas... e hoje no trabalho, resolvi escrever... a menina ao lado, curiosa queria ler... disse-me coisas bonitas... e acabei por dizer: "interessante, um dia escrevo isso e sobre você". Ela fez de maneira positiva....

... Pediu ela para ler... entreguei o papel, e continuei a escrever outras coisas, vez em quando, trabalhava... ela me rabisca o meu original em papel... COM CANETA... e escreve assim, "Bom não entendi o objetivo de sua viagem no tempo? e o pior por qual objetivo! - rabiscou uma assinatura e o que quis dizer... com isso... há significado? acho que não... mas... legal... [Obs.: Eu corrigi para escrever aqui...]

>>Deixei pra lá... ainda assim com raiva, "ESCREVERAM NO MEU ORIGINAL !!!" <<<

não é, era só um papel; é uma folha de papel A4, devidamente dobrada e rasgada ao meio, branca em sua maior parte, com detalhes de envelhecimento e poeira, escrita a caneta de tinta azul, palavras de sabedoria e interpretação, com rabiscos e alterações, tudo feito ali, na frente e no verso ocupado e ao final, assinado! Como poderia ser só um papel? Esse, pobre, foi violado... =(

[Revolta de escritor, por Mininu Nu]

sábado, dezembro 12, 2009

Falsa intimidade - 04/12/2009

Texto retirado do fotolog da "Joanecléia", espero que me perdoe pelo feito.


Fala-se muito sobre as frágeis relações amorosas de hoje, tão afetadas pela urgência de satisfazer desejos imediatos, pelas inúmeras possibilidades de contato instantâneo e pela pouca durabilidade dos sentimentos. Me pergunto: onde está o furo dessa história? O que perdemos no meio do caminho? Talvez nem tenhamos perdido, talvez simplesmente nunca tenhamos encontrado aquilo que só a poucos casais foi dado viver e os que mantém unidos a despeito de toda a artilharia.

A maioria, hoje, vive suas relações afetivas e sexuais de forma periférica. Contenta-se com cama, orgasmos e satisfação dos instintos. Isso somado a um cineminha, uma escapada no feriadão e um almoço em família configura uma privacidade compartilhada, e é o que basta para confirmar que a relação existe, seja ela chamada de rolo, namoro ou mesmo casamento.

Ainda me pergunto: onde está o furo na história? Por que essa privacidade compartilhada não se sustenta por muito tempo, não satisfaz 100% e gera tantas frustações?

Com a possibilidade de acesso virtual a uma variedade de candidatos à grande amor e de seus cadastros (idade, profissão, time, fetiches), entrar na privacidade dos outros fico muito fácil. Porém, em proporção inversa, perdeu-se a noção do que é intimidade, algo que nem mesmo algumas relações duradouras conseguem atingir.

Intimidade não se externa, não se divulga, não se oferece na internet. É nosso bem mais secreto, é onde guardamos a chave do nosso mistério, das nossas dores, das nossas dúvidas, da nossa emoção genúina. Não se compartilha isso com outra pessoa se ela não tiver sensibilidade suficiente para nos ouvir e entender, para nos aceitar e nos acrescentar, para nos respeitar e ofertar em troca sua própria intimidade, selando a partir daí um tipo de pacto que beira o sublime.

Essa intimidade requer confiança plena, compatibilidade na maneira de enxergar o mundo e nenhum instinto maléfico em relação o outro. Intimidade é quando duas pessoas, mesmo distante em espaço, estão profundamente unidas porque se reconhecem cúmplices, não competem pela razão. Claro que a intimidade não consegue evitar ciúmes e conflitos de ideias, e tampouco se pretende que ela acabe com a solidão de cada um, que é sagrada, mas ela assegurará a longevidade de uma união que será estabelecida pela generosidade do olhar: se estará mais preocupado em enxergar a alma do outro do que em fiscalizar para onde ele está olhando.

Amigos conseguem essa magia mais do que muitas duplas românticas, que frequentemente se enganam a respeito da falsa intimidade que o sexo faz supor. Invadir a privacidade alheia é moleza, basta um torpedo, um telefonema, um encontro. Mas ter acesso ao mundo interno que o outro habita e sentir-se à vontade nesse mundo é que torna tudo mais raro, mágico e mais eterno.

C.L.

sexta-feira, dezembro 11, 2009

Novas regras para Transplantes


Prioridade aos jovens. Desde o começo de outubro está em vigor uma nova regulamentação para os transplantes de órgãos no país. Que supostamente receberá investimentos de R$ 24 milhões.


" Agora teremos uma regra para decidir quem vive, e quem não vive... Temos um jeitinho brasileiro, até para furar a fila de transplantes. Felicidade para os menores de 18 anos, que agora poderão receber transplantes da mesma faixa estária. Pior para quem chegou aos 19; ou para quem sempre esteve acima dos 19 que perderá a possibilidade de receber doações de jovens que por infelicidades quaisquer vieram a falecer."
- Menores de 18 anos passam a ter prioridade para receber órgãos de doadores da mesma faixa etária e poderão entrar na fila para receber rins antes da fase terminal das doenças.
- A doação entre pessoas vivas será autorizada por uma comissão de ética formada por funcionários do hospital e não mais por medida judicial.


E com menos polêmica, o SUS passa a oferecer transplantes de pele, indicados para quem sofreu grandes queimaduras. Outra medida para aumentar a transferência das doações e diminuir a angustia da espera é um sistema informatizado, que permitirá que a fila seja acompanhada pela internet.


[Recorte de Jornal, 1-nov-2009 Folha Universal]

[Lendo Jornal, por Mininu Nu]

quinta-feira, dezembro 10, 2009

Fotografia e excentricidade...


Moscas em ação


"Tentei tirar fotos de insetos", da maldita mosca que pousou em minha comida! Mas não consultei o manual da minha máquina, como consequência, não consegui. Vez em quando eu gosto de observar "inutilidades" ou artes, além obviamente de produzir as minhas. Portanto, sou adepto a fotografia, minha própria forma de ver o mundo e enxergar beleza em coisas bonitas, assim como beleza no que não aparentemente é estético.
Com este pensamento, acabei esbarrando com um item curioso:


"O fotógrafo sueco Magnuns Nuhr parece não medir esforços para realizar obras curiosas. Ele reuniu uma série de moscas mortas e, com o auxílio de lápis, as colocou em cenas bastante engraçadas. No site: ' muhrgalleri.area81.se/ ' [Não estão as moscas aqui...] é possivel ver fotos dos insetos saltando de trampolim, andando a cavalo ou tomando sol deitados em esteiras."

Durante leitura, achei incrível este tipo de obra de arte, que tudo tem a ver comigo, mas por alguma infelicidade não consegui encontrar as tais obras na internet. Isso certamente eliminaria meu post! Mas publicarei[ia] assim mesmo, com raiva de que o Jornal On-line da mesma que não possui link, nem sistema de busca e a visualização em vão de 30 edições com seus diversos links nada me trouxe.... para provar que não só eu faço fotos com características de sandice. Restou-me então estas:



[Recorte de Jornal, 1-nov-2009 Folha Universal]
[Leitura de Mininu Nu]

O comportamento Alien - Parte 2

Resolvi após o post [Colonizados Passivos] que daria alguma continuação as politicas sociais, inclusive da minha vida.

Pensei inicialmente que só poderia... Deve ser, ou só pode ser burrice... [estou falando de mim].
Gostaria que minhas teorias fossem levadas a sério. Do empírico ao embasamento técnico teórido do Google, uma enorme e incrível graduação e fonte de consulta, pesquisa, etc...

Imaginei minha pessoa com uma segunda personalidade, e para os que acompanhariam o "blog" desde o início poderiam tentar identificar o seguinte Rodrigo Cavaleiro diferente de Mininu Nu. Serve-me esta cituação pelo tanto que escrevo questionando e pouco pratico a respeito do conhecimento que eu julgaria ter...

"Todos querem mudar o mundo, mas ninguém quer mudar a si mesmo..." [Gandhi]


Isto também justificaria o título do post, Comportamento, Alien.
Segundo o filme 2012, o termo 'humanidade' descrita por... eu juro que sabia o nome mencionado, FULANO DE TAL, 'humanidade' significaria manter a ajuda de uns aos outros.
Ou seja, no momento em que o egoismo, a passividade e a ignorância nos dominar, não seriamos humanos.
Em mim observo muito egoismo, alias observo isso a todo tempo em qualquer lugar... triste é saber que eu nada fiz para mudar... prometo mudanças.

Escreveria eu, da minha própria passividade e ignorância. E sinceramente acredito que isso, em alguns momentos, traria a felicidade. Sobre a minha humanidade, ou meu alien.
Primeira postagem sobre mim, novamente no dia 17/12, são 5 partes de escritas que podem ser lidas de forma individual, mas farão parte de um conjunto. Eu.

[Durante o trabalho por Mininu Nu]

terça-feira, dezembro 08, 2009

"Tirinhas" de conhecimento empírico... 1

Eu sou mal orientado, resolvi portanto criar "tirinhas de sabedoria" a fim de melhorar minha opinião em formação e a de quem se interessar por ler.
Dizia alguém que minhas coisas são baseadas em fatos empíricos, ainda exemplificando:

" Cortar o cabelo em noite de lua cheia faz com que o cabelo cresça mais rápido! [?] "

Realmente não é comprovado científicamente, portanto não poderia ser um comentário válido.
Pensei então rápidamente, mas não exprimia o mesmo.

"Quer dizer, apenas para o Lobisomem, o dele cresce em noite de lua cheia, e rápido... alguém discorda? Pergunte a ele...."


[Formando opinião, porMininu Nu]

segunda-feira, dezembro 07, 2009

Musicado


Será que a sorte virá num realejo?
Trazendo o pão da manhã
A faca e o queijo
Ou talvez... um beijo teu
Que me empreste a alegria... que me faça juntar
Todo resto do dia... meu café, meu jantar
Meu mundo inteiro...
que é tão fácil de enxergar... E chegar

[T.M. Realejo]
[por Rodrigo, Mininu]

sexta-feira, dezembro 04, 2009

Musicado


Onde já se viu o mar apaixonado por uma menina?
Quem já conseguiu dominar o amor?
Por que é que o mar não se apaixona por uma lagoa?
Porque a gente nunca sabe de quem vai gostar


[T.M. Ana e o Mar]
[Buscando entendimento, por Rodrigo, Mininu]

quarta-feira, dezembro 02, 2009

Pausa para o Blog...


Esta será a terceira reforma do blog, desta vez estamos com um contador nas alturas.


Novamente mudarei o Layout, será de acordo com o meu humor atual, desta vez até o final do ano, comprometo-me a rever o português, que obviamente ainda conterá erros, mas estará então diferente do atual. A re-escritura do blog fará com que eu apague tudo que é "pessoal"...
[...se é que você me entende...]

Para quem ainda pretende visitar todo o conteúdo, está tudo armazenado no meu pré-blog.
Não aconselho a leitura até que notem a total alteração deste principal.
http://backupdamemoria.blogspot.com/

[Mudando a si, por Mininu Nu]

Ficaria com ele? [2]


e daquele grupo par ao retornar, Faziam inverso o caminho, e lá naquele mesmo lugar outra pessoa encontraram....

... Do mesmo corpo alto as características haviam mudado, os músculos ainda que curtos agora apresentavam tensão; a pele tornou-se avermelhada, como de quem tem raiva; o cabelo permanecia o mesmo; e o rosto agora possui uma feição fechada, pesada; os olhos transmitiam mistério e ódio e da cor escura o obscuro interior de um ser; o nariz agora apontava para cima; os lábios prestavam a apertar-se contra si.

E não haveria ninguém para chamar-lhe, já não poderiam reconhecer.
Aquele que estava ali se apresentava como fortaleza, na defensiva, uma barreira contra qualquer sentimento, contra fraquezas. É certo que não sofreria por nenhum problema mal resolvido... por nenhuma paixão, seria difícil, quem poderia querer... Texuco Blanche Castelan Marris[?]
O pouco tempo que esboçava um sorriso, um vestígio de alegria, perdia-se, recaia breve a amargura de um conhecido dele muito próximo.

E levava a vida com um bordão, "você vai sobreviver", dizia a si e ao Rodrigo. Vivia de modo para que fosse certa só a forma de sobreviver, que pudesse ter força e corpo, incorporar, tornar a estrutura de jeito a conseguir guiar... sobreviver.

E assim, durante aquele espaço de tempo, conheceram Mininu Nu.
Pensaram então em não mais olhar, mas do grupo de um par, alguém olhou, e não saberia julgá-lo...


[Poderia tentar?]


[Pensando em mim, por Rodrigo Cavaleiro]
Leia também: http://vocevaisobreviver.blogspot.com/2009/11/ficaria-com-ele.html

sábado, novembro 28, 2009

Colonizados, passivos...


Vez em quando surgem ideias que são de aparência inteligente. Uma destas
descreverei neste post.


O Brasil "foi" colônia de exploração¹, nossas origens² são de bandidos, exilados, corruptos, mulheres promiscuas. Houve aqui o encontro da oportunidade³ de já mal intencionados homens com inocentes índios e uma terra fértil.

¹
O "foi" da introdução acima é para que se reflita, até hoje somos explorados. Temos dos mais diversificados minérios, recursos hídricos, fauna, flora... o quanto estamos utilizando desses recursos, e o quanto deixamos de utilizar, por privatizados estarmos, deixados, e deixamos à vontade internacional de exploradores outros.

²
Descendemos da pilantragem, Portugal e seus portugueses enviados, a escória para nossa colonização. "Somos netos e filhos das putas". Gerações de safados que estão aqui até hoje disfarçados.

³
A oportunidade bela, a visão de futuro para delitos, e isso veio a dar partida logo no início, ao roubar os índios. Os Obrigaram a cortar o Pau-Brasil. Roubar, explorar, escravizar. A imposição da vida e ação em condições miseráveis, manipulando o proletário. Percebam, não há diferença dos dias de hoje, atuais. Passivos antes, passivos hoje.
[Adivinhou quem são os índios?]

¬¬"

Seria de tempos antigos o surgimento do provérbio, "vaso ruim não quebra", talvez na perigosa viagem pelo mar, não é que chegaram todos vivos e inteiros? Não me admira estarmos vivendo como marginais, às margens do que consideramos ideal. O que incomoda, é a passividade...


Em breve eu termino os ganchos...

[Pensamento de onde viemos, por Mininu Nu]

segunda-feira, novembro 23, 2009

O comportamento Alien - Parte 1

As ações problemáticas que fazemos sem maldade. [Mentira!]
Dizem estudos que a consciência humana, começa sua formação ainda em fase fetal, a partir do ouvir o 1º não.

O que injustificaria qualquer inocência. Onde irá as minhas queridas histórias tristes? Trânsito, dor de cabeça, dente, cólica, falta de freio intestinal?
Não poderia eu, e nem ninguém, querer ser vítima, inventar desculpas, enganar.

Existe a consciência de que os atos praticados irão gerar um resultado, vezes bons, vezes ruins, normalmente ruim, se não porque[?] escreveria a respeito?
É curioso definir sobre as pessoas que preferem omitir a consciência e se deixar enganar.
Seriam felizes aqueles que acreditam na melhora, aqueles que aceitam as estórias? NÃO! "Destruindo a esperança e a expectativa criada, pobres corações iludidos."

Aceite as consequência dos atos, é um FATO, está feito.
Quanto ao comportamento problemático, não mais poderá ser desculpado com histórias...
mas,

Felizmente ainda temos a 'Ignorância'. E esta serve não só para desculpas =)
Amo as características humanas em mim. Que belo comportamento.



[Pensamentos Alucinógenos por Mininu Nu]

sábado, novembro 21, 2009

Repente, poesia....

2. Poesia [numeração de acordo com os rabiscos que tenho ... ]


# Na calçada, pelo caminho...


Escrevi por ele,
que contaria sua vida,
por breves períodos, algumas orações.
[Meu cachorrinho]
Transcrevi e decifrei,
o caminhar perdido, o medo da beirada, mais parecia um precipício...
o chão áspero e quente de sol, marcava em cada contato, o pisar...
[O caminho é difícil para os pés e patas no chão]
qualquer corpo e ser que o cruzava, incitava briga...
Os sons o cercavam, difícil era compreender,
nada diziam eles, para ele só ruídos...
[Pessoas, carros e motos, outros cachorros]
e vez ou outra, o vento trazia o cheiro,
daquele aroma ambiente recordaria, aproximava-se sem medo...
aproveitava o momento com alegria.
[Banheiro em árvore]
ali se desfez, expelindo tudo que não mais queria.
aliviou sua necessidade física...
[foi-se coco...]
Não só isso precisava,
como um pequeno olhar o cruzava,
devagar e cada vez mais próximo,
a sentia, e ela era linda...
[cadeinhas ! Uhu ! =)]
com ousadia posicionou-se ao lado,
deu-lhe um cheiro, e próximo a orelha, uma lambida!
e após o cortejo, encerrou-se assim seu passeio.
[Natural né...]
Caminhava para casa, já não mais aguentava
um passo se quer, com sede e coração acelerado,
feliz retornava, adentrava pelo condomínio,
cumprimentava o vizinho...
Encerrou assim seu dia,
[cão, sobe!]






ao deitar aos pés de seu dono.
[Pensamentos de cão, por Mininu Nu]

domingo, novembro 15, 2009

Testamento, Morreria comigo ?

As informações que recebo de manhã...
Logo ao acordar tenho dificuldade em diferenciar o real do fictício [imaginário - "ficticionário"]
Como exemplo, o "apagão" em todo Brasil parecia imaginário, mas a batida de abacaxi esperando-me na geladeira deveria ser real!

"Triste, era ser a verdade o oposto, a batida não existia e o apagão era real; [não] encontrei-me [estava escuro], sem luz e comecei este post em papel e caneta."

"Por isso temendo as surpresas que essa cabeça me apronta, num momento de lucidez [ao menos esperando isto real], escrevendo meu testamento, prevenindo o futuro de maus momentos..."



TESTAMENTO PARTICULAR:


Eu, Rodrigo Cavaleiro, de alcunha Mininu Nu, brasileiro, humano até que se prove o contrário [e como todos, um pouco doido, descrição], domiciliado e residente nesta cidade, Rio de Janeiro, vindo de um pai e nascido de uma mãe ainda vivos na presente data, filho, amigo, colega, de ainda vivos e outros já falecidos, solteiro que buscava compromisso, casado enquanto vivia com a alegria, e sem essa veio a ausentar-se deste mundo, ter com Deus, por isso posto, venho declarar os bens.

Livre de qualquer induzimento ou coação, resolvo lavrar o presente testamento, público para dispor de meus bens para após a minha morte [se é que não já estou].
Para meu testamenteiro, nomeio os blogueiros do selo abaixo e os recomendados, qualificado, ao qual peço que cumpram e façam cumprir as presentes disposições de minha última vontade.

- Saibam, tantos quantos virem - este público instrumento particular, ou deles tiverem notícias, que: estes dias destes meses do ano de dois mil e muitos, que escrevo, e as testemunhas idôneas, idosas, idiotas, idílio, ou nem tanto nenhuma das opções, que a final nomeadas ao nascer por seus próprios pais e ao final assinadas em comentário, expressam convocadas a assistirem este ato.

Reconhecido de mim pelos próprios vocês, dou fé e a alguns dou dúvida, e das mesmas testemunhas, perante as quais, encontram-se em seu perfeito juízo e entendimento [assim espero].
Dito que desejava fazer o meu testamento, e minhas notas, as declarações, última vontade, conforme minuta, tal como nela se contem e se concretizam nas disposições seguintes: (dispor a respeito do patrimônio ou fazer outras disposições); o Sr. Mininu Nu. Aqui se declaram, o derradeiro e legitimo desejo.


Em vida, tive muito não, mas vim a desfrutar do pouco conforme se seguiu a vida. Ao que pareço velho, com textos e poesias, diferente do mundo atual moderno, concreto e frio.
Sem delonga passo a descrever o que me resta, neste tão longo e breve tempo de vida, e é para isso que estão aqui, vocês:

- Para deixar meu laptop, busquei na mente alguém que o fizesse uso e não o tivesse. Escolhi então meu pai.
- Meu celular, que já foi instrumento de desejo de salteadores e facínoras, reservo a rifa entre os nomes lá de baixo, para quem deixo saudade e, finalmente um celular.
- Meus monitores, que acumulei a fim construir uma LanHouse, deixo as ONG´s quaisquer que possam servir a ensinar.
- Minhas roupas, ao exército da salvação devem doar.

Por antes do término de meus bens, gostaria de dizer-lhes o seguinte:

Deixarei para alguns saudade, e certamente esperaria que a tivessem. Para outras, certamente mais, deixarei a lembrança, são estas que descrevo: Castelan, Maureen, C. Lima, C. Martins, Maris, Scomação, Barreto, Moacir, V. Camões, J.Veras, E. Fontelene, Arjuna e de todas elas, mesmo os que poderiam ser vistos masculinos, assim descrevo mulher. Deixo a saudade, que aperte vossos corações e que guardem de mim a lembrança, e que pelo menos as boas, pois apesar de poucas haveriam de existir.


Também a essas, deixo um tão incrível item. O que de mais valoroso e arduo tive em vida! Para vocês acima, deixo minhas dívidas...


E sem mais restar, o livro, deixo [`]a humanidade...
Para que um dia olhem para ele, só ele famoso [visto que estarei morto], com alegria!


Nada mais tendo a lavrar, dou por encerrado o presente testamento.
Estando EU em perfeito juízo e em pleno gozo de minhas faculdades intelectuais, na presença de testemunhas a seguir, qualificadas:
Das testemunhas,
Para servir de testemunha, comente no post...

sábado, novembro 14, 2009

Bárbara Maureen

E você é:

- De pele lisa, esticada, da cor não sei dizer, um tôm palido, desbotado, sem sol certamente, do corpo magro, não muito alto, não saberia também dizer o quanto, da altura dos meus ombros, braços finos e frágeis, pernas longas e com detalhes nas devidas proporções, seus pés pequenos, sua curvatura de cintura e quadril, acompanha bem o volume de sabe bem o que digo... dos seios, seriam sim perfeitos e sinto muito se é indiscreto, muito direto ou obsceno... deveria descrever sim teu corpo, mas há ainda características importantes, não pense que esquecerei...

Das tuas mãos, ambas com 5 prolongamentos articulados, incertezas e inseguranças, traz em mim desejo. E a veria alisar o cabelo, comprido, onde certamente embolaria, aí sim, meus dedos, me perderia no comprimento iniciado na testa a abaixo do queixo, extenderia ainda, pelo restante de seus cabelos até a metade de suas costas, livraria seu rosto desses, para que pudesse olhar seus olhos, e que embassado fica o mundo ao redor, é a luz que transmite e ilumina o interior perdido da minha alma, arrendodados e caramelos...

Ah, mas não só isso queria comentar, gosto também de suas orelhas preguiçosas, tem lóbulos moles é um agrado brincar, das bochechas que acompanham o rosa, vem ressaltar o nariz, batata, mas ainda um nariz, e todos eles só vêm dizer e mostrar - TEU SORRISO - perfeita e bela arte, esculpido em dentes brancos e metal, e boca larga, com lábios igualmente largos, mas finos, com uma extensão perfeita para um beijo, que tanto gostaria de ter...

Ah como gostaria...
Báh, essa é você...

[Pensamentos em Bárbara por Mininu Nu]

sábado, novembro 07, 2009

Ficaria com ele?


... e seguia o grupo pelo caminho, olharam par ao lado e de lá surgia:
um rapaz lá longe, vinha se aproximando, era alto, talvez uns 15cm a mais que você; não possuia rigidez nos músculos; tinha pele morena, puxada para o claro, amarelo; do cabelo, crespo, negro, curto, que nada se extendia da cabeça preservando um mínimo de limpeza; do rosto fino, olhos escuros e grandes, com um estilo peixe morto, nariz fino e lábios comuns; no peito e barriga, sem pelos e nada mais havia que pudesse descreve-lo até que...

Chamaram-lhe Rodrigo:
Que diziam, louco, por atitudes eternamente positivas; e chamaram-lhe bobo, pelo modo de encarar a vida; descreveram-no simples, com uma honestidade ímpar, que significava que não possuia jeito para a malícia, e tudo nele poderia ver, olhando nos olhos.

Não deixaram de olhar nos olhos, diziam umas que aqueles, eram como se as devorassem, diziam outras que os olhos, janelas da alma, eram grandes e bem abertas portas para o que ele sentia... Mas pelas opiniões diversas pouco se sabia, e ali, uma alma curiosíssima fitou olhar...

Os olhos, já não se mexiam, parecia morto...



[mas na verdade dormia...]

[Pensando em mim, por Mininu Nu]

sexta-feira, outubro 30, 2009

MicroPost para constar...

Para Bárbara Maureen...
Contando de como começou nossa amizade!
Tem noção da sua voz !?
é um misto de tons...
meio rouca, meio fraca...
passa força, mas ao mesmo tempo fragilidade....
sua voz é pura oposição...
e quando ouço sua voz...
quem se opõe é meu coração.........

ah .. pobre de mim ....
apaixonado por algumas letras...
trocadas em uma pequena tela...
apaixonado por um texto !!!
ah vontade de te tornar real

T_T
[Pensamentos em frente ao PC de Mininu_Nu]

Escrevendo sobre mim, sem critérios...


Escrevendo sem critérios...
mostrando um pouco de mim, na tentativa de que você possa entender:


"Resultado de um post, VINHO, sim, duas taças, as duas para mim, ah, esqueçamos os copos, não há desejo em lavar a louça, vamos direto a garrafa, um brinde, sozinho, a mim."


Sinto falta da cumplícidade, não para que cometesse crimes, mas, provavelmente algumas infrações morais ou[e] contravenções penais!

Há necessidade de ousadia, interatividade, ser procurado e ter buscas incessantes... entrega, preciso disso em minha vida.
Sinto falta de um abraço que conforta, dos mesmos braços do alívio excita...
Preciso desesperadamente fugir da monotonia.
Não quero guardar-me para o amanhã, pois a cada dia que passa e anoitece, fecho os olhos e o calendário por inteiro já se foi.
Existe um lapso no tempo, uma zona abisal, acho que a perdi em algum momento tentando ser o que eu não sou, deixando para ser depois, ser e estar acomodado.

"Seja louca, senhorita leitora, arranca-me do vazio, traz-me de volta a[à] vida..."

# SELO #



Eu que nunca imaginei alguém lendo meu Blog.
- Ganhei um selo.

"Torna-se este, um passo para que não deixe selado qualquer pensamento e a cola aqui mostra a liberdade dos devaneios."

## Pelo que vi, foram recomendados 3 blogs, incluindo este, minhas preferencias então, são estas: ##

1. http://deliriosesuspiros.blogspot.com/
2. http://joycebc.blogspot.com/
3. http://achados--e--perdidos.blogspot.com/


E para que eu possa ser, sociavel, humilde, responsável, tolerante, recomendo também outros 3.
recomendações: " http://acidadeeeu.blogspot.com/ ; http://mostardacrua.blogspot.com/ ; http://scrummiest.blogspot.com/ "



Agradeço a atenção.
Beijo no pé !

domingo, outubro 25, 2009

Coluna de Jornal


A Cama na Varanda: Perigos do amor romântico

POR REGINA NAVARRO LINS, RIO DE JANEIRO

Rio - Certa vez, uma amiga me descreveu seu namorado como inteligente, culto, gentil, bonito. Dizia ter encontrado a “pessoa certa”. Foi enorme a surpresa que tive ao conhecê-lo. Na realidade, ele não correspondia a nenhuma das características que ela lhe atribuiu, pelo contrário, era o oposto de tudo.

O amor romântico não é apenas uma forma de amor, mas todo um conjunto psicológico — ideais, crenças, atitudes e expectativas. Essas idéias coexistem no inconsciente das pessoas e dominam seus comportamentos, determinando como devem sentir e reagir. Ele não é construído na relação com a pessoa real, e sim sobre a idealização que se faz dela. Mas a proposta é muito sedutora. Que remédio melhor para o nosso desamparo do que a sensação de nos completarmos na relação com o outro? A partir daí, surgem crenças equivocadas como: quem ama não sente tesão por mais ninguém; o amado deve ser a única fonte de interesse; todos devem encontrar um dia a “pessoa certa”. Mas por mais encantamento que cause num primeiro momento, ele se torna opressivo por se opor à nossa individualidade.

Assistimos a grandes transformações no mundo, e, no que diz respeito ao amor, o dilema atual se situa entre o desejo de simbiose — se fechar na relação com o parceiro — e o desejo de liberdade. Mas quando alguém alcança um estágio de desenvolvimento pessoal em que descobre o prazer de estar sozinho, se dá conta de uma profunda mudança interna.

Preservar a própria individualidade passa a ser fundamental, e a idéia básica de fusão do amor romântico, em que os dois se tornam um só, deixa de ser atraente. Por enquanto, não há dúvida de que desejar viver relações de amor fora do modelo romântico pode ser frustrante. As pessoas são viciadas nesse tipo de amor e fica difícil encontrar parceiros que já tenham se libertado dele. Mas acredito ser apenas uma questão de tempo.

Bonnie Kreps, cineasta canadense que escreveu um livro sobre o tema, diz que deixar o hábito de “apaixonar-se loucamente” para a novidade de entrar num tipo de amor sem projeções e idealizações também tem sua própria excitação.

É a mesma sensação de utilizar novos músculos, que sempre tivemos, mas nunca usamos por causa de nosso modo de vida. No entanto, ao começar a utilizá-los podemos fazer com nosso corpo coisas que antes nunca conseguimos. Para ela, os músculos psicológicos também existem e devemos olhar através da camuflagem do mito do amor romântico a fim de encontrá-los - e, então, ver com o que se parecerá o amor quando mais pessoas começarem a flexioná-los.

quinta-feira, outubro 22, 2009

Desistência ... ???

ADICIONEI POSTAGENS DE UM OUTRO BLOG... Vejam pelo histórico, espero que gostem.

Pois enquanto não a possuo...
Vislumbro o caminho...

"Recordarei dela, como aprendizado, guardarei com carinho."


Ela: Perdida, em dúvida...
Eu: Não é esse o melhor caminho...
Ela: Todas as mensagens indicavam assim, estranho. Mas obrigada.
Eu: Não sou estranho! =)
Ela: Eu não quis dizer você...
Eu: Obrigado nada, quero hospedagem garantida para quando eu for próximo de você...
Ela: E você vem quando ? Não querendo ser intrometida, mas já sendo.
Ela: Desculpe perguntar, mas como você conseguiu trabalhar para a Oi, eu sempre quis trabalhar em alguma operadora, acho interessante. Não precisa responder se não quiser... Eu estou te enchendo né ?
Eu: =) que nada... espera só eu resolver um "pepino"...

####
Outro dia...
####

Eu: Muito bom dia ! Poxa, o final de semana inteiro e você nem para adicionar...
Ela: Eu não entendi o seu MSN!

** NOTA: Mininu_nu@hotmail.com ... não pareceria uma e-mail de algum tarado!? NÃO !

Eu: Nem para perguntar... encaminho a informação quando puder adicionar...
Ela: Olha, pelo o que eu endendi, deixou bem claro o que queria, que pena, posso te dar uma amizade...
Eu: Amizade é um bom começo, ainda não sei qual é o seu caso, durante este processo agente vai se conhecendo... Há algo de muito interessante em você!
Ela: Nossa, você nem me conhece!!!
Eu: Justamente isso... E a curiosidade. Esse efeito do desconhecido.. Não ser programado, não fazer ideia, não ter planejado... acrescenta um pouco de ansiedade pela primeira mensagem que recebi. Se você estivesse aqui, deste lado iria entender... Mas, não se preocupe, eu sou paciente, e temos tempo! Ou não?
Ela: Claro. Mas tenho muita coisa para fazer agora, fica impossível, mas a tarde te dou certeza, estou gostando de conversar contigo, sabe, estava precisando mesmo conversar com alguém! Mas saiba, eu acho estranho você agir assim, você é assim com todas que você fala? Não quero ofender.
Eu: Não saberia dizer... e se soubesse =), eu negaria até o fim... toda mulher tem seus mistérios, acho que o difícil é encontrar alguém que queira entender !? Bom, estou aqui.. o que quiser descobrir também só dependerá de você...
Ela: Se ofendeu =(
Eu: Não! Acho que faz parte do meu comportamento natural, eu não me observo, então não saberia dizer. Está insegura? Tem medo de eu não gostar? Confie mais em você.
Ela: Confio e muito! Mas precisa confiar para ter uma amizade? A gente se fala a tarde então, um bom dia de trabalho para você, beijos.
Eu: Expontaniedade e confiança... um pouco de entraga também. Obrigado, fez meu dia começar bem, bom. Até a tarde.
Ela: Você está me deixando curiosa... Será que é essa a magia?
Eu: Segredo de mim ?
Ela: Só depois das 14h falarei com você. Que horas você sai do trabalho? Falo com você as 16:30
Eu: Saio agora, depende do transito. Transito triste, estou na metade do caminho. Enquanto isso, entretenha-me. Como foi seu dia ?
Ela: Pow, fiquei na internet e você não! Que legal.
Eu: Desculpe-me...
Aqui está chovendo... Não consegui entrar pra falar com você... Procura meu blog, a esquerda tem meus contatos.



## Depois de algum tempo... uma breve conversa... as coisas não andaram mais as mil maravilhas...

Corro risco de processo... Além de outros riscos...
E ainda assim a quero. Pessoa absurdamente simpática, que faz falta...
Precisaria de algum outro meio para a conhecer?
Deveria desistir ou insistir?


Paro por aqui... já há um post... o resto fica muito pessoal...

terça-feira, outubro 13, 2009

A fome, há fome...

A fome, há fome...

Antes frio, não iluminado,
Cedendo o lugar para
Um feito de qualquer hora...
Quando há vontade, da à hora
E não iniciado por ritual,
Mas que requer preparação

Esquentando... Gerando o calor...
Ali aberta e disponível, aguardava.
O objeto, a entrada...

Toma forma aos poucos...
Pela força das mãos,
Apertava forte, suave, por inteira
E assim o gosto surgia... Com esse subia também o cheiro

Por cima fico observando o tipo
Até que no preciso momento
O ponto certo é interrompido

Na hora posta ao fogo,
O engole...
E por menos de uma hora permanece
Até que pronto está
E novamente retoma o desejo
Deliciar-se finalmente




[Pensamentos de Mininu_Nu]
[Assim eu fiz comida... Empadão...]

segunda-feira, outubro 12, 2009

Pelo caminho, os encontros...


Todo e qualquer lugar...
Num mar de perdidos, a procurar...
E ali, casual, o casal... hora a frente, hora atrás, ora, ao lado está...
E do casual nasce...
no começo abre espaço e sempre algo a incomodar.
Vezes braços, vezes perna... Faz força, exerce peso... Equilibra...
O contato da pele, roupas torcidas em cada passar, completos estranhos a se tocar...
Como disputa, quem sabe excita, tensiona, irrita... As vezes grunhido, ou talvez gemidos...
O objetivo, possuir, encontrar o lugar... Ali passam-se horas, até que o momento torna...
os músculos contratídos, com celeridade vai para trás... De pé, estica-se, forçosamente...

Alcança... então agora não mais sobre você...






[Pensamentos em ônibus de Mininu_nu]
[e assim eu desci do ônibus...]

Por Todo Ô !

Por todo Ô

Frente a frente,
um encarando o outro esperando a mente trabalhar.
Eis então que,
a imaginação flui, e tudo começa a funcionar.
A proximidade aumenta, cria-se um doce balançar
para frente e para trás, com força, empolgação
poderia repetir-se por horas ou minutos, mas após
as maos,
das mãos o deslizar pelo todo
apertos celeres marcando e voltando,
abaixo acima para os lados, inquietam...
ao final, o momento de satisfação,
relaxado, agora de ombros para baixo...
a sensação de trabalho pronto, realizado...




[Pensamentos de Mininu_nu]
[resta-me apenas imprimir o texto...]

Guiando Corpos

Guiando Corpos

...e seguem também os dias,
por todos eles o esforço , esvai
cada folego e atenção ...
presas em uma única direção
para frente, segue sem medo..
invadindo de conhecidas o oculto
e reluzente os olhos,
vistos de frente
em direção contraria.. na contra mao
corta-me a cada intante um sorriso
e por eles guia-se meu corpo
alinhado preciso ousado
levo-me onde quero
por caminhos que não preciso conhecer..
mas desejo descobrir
acabo-me por chegar, em qualquer ponto de onde eu parti
seguro firme... preparado para qualquer outro dia... guiar-te novamente...
o que seria de mim, sem a possuir...





[Pensamentos de Mininu_nu]
[a moto que eu comprei!]

sexta-feira, outubro 09, 2009

VOU DE COLETIVO - Manias na hora de ler ?


Leio o diferente, para ser diferente.
Tudo que me é negado, ínsita, instiga, faz vontade e força conhecer...
Manias na hora de ler?


Há sim, “um montão”... Mas é trazer sexualidade aos comentários enquanto leio que prende minha atenção... Imagino as falas, como se eu as tivesse dito, as vezes a voz sai alta. [Nada como um pequeno mico.]
Permaneço indiferente, parado, conciso, seguindo no ônibus meu pensamento perdido...
Perdido do real, porque feliz estava eu naquele livro...

Obs.: Não sou tarado...
Vou repetir o post que fiz sobre o livro...
E que delícia era o Livro:
- Brasil República


Eu tenho aprendido com você...
Tudo que pode te ensinar deve ser tratado com jeito... veja, quando a levei para a cama, peguei-te com jeito, abri a ti firme e não desconcentrei; penetrei em seu mundo; invadi e ali fiquei... Aprendi dois ou três bocados. Já sem jeito, aprendi e depois do aprendizado, descartei, retornas-te à “prateleira”.


[Pensamentos em ônibus de Mininu_nu]
[To falando do livro que eu comprei na Bienal...]

"Um momento, por favor..."



A ousadia...
só vem a ofender, insultar;
Aqueles que não sabem o que querem, [e/ou] não sabem o que fazer...


Sim... como eu passo mais tempo no ônibus do que parado... Lá se vai...


Todo e qualquer lugar... Num mar de perdidos, a procurar...
E ali casual, o casal... hora a frente, hora atrás, ora, ao lado está...
E do casual nasce...
no começo abre espaço e sempre algo a incomodar.
Vezes braços, vezes perna... Faz força, exerce peso... Equilibra...
O contato da pele, roupas torcidas em cada passar, completos estranhos a se tocar...
Como disputa, quem sabe excita, tensiona, irrita... As vezes grunhido, ou talvez gemidos...
O objetivo possuir, encontrar o lugar... Ali passam-se horas, até que o momento torna...
os músculos contratídos, com celeridade vai para trás... De pé, estica-se, forçosamente...

Alcança... então agora não mais sobre você...



[Pensamentos em ônibus de Mininu_nu]
[e assim eu desci do ônibus...]

terça-feira, outubro 06, 2009

Achismo nosso...

Por não falar com você todos os dias...
Era algo mais ou menos assim:

Dedico este Post a "Ca..."

Adoro-te... em tão poucos dias...
o que será depois de toda a nossa existência?
Sem preocupar o futuro, eu queria comentar o presente...



"Eu ri, eu acho que eu seria você..."
Seria meu tempo, definir todos os momentos que quero você...
Seria automática a vontade, que de tanto pensar... Minhas mãos fariam sua vontade...
sem pestanejar,
meu coração sincronizado com o seu, meu olhos para nenhum outro lugar olham... olhariam,
Não há ar, onde não há você...

Acordar ao lado, dormir ao lado...
Jamais deixar de lado... E se por algum momento tiver dor, sofrer... Em meus braços a aqueço... Curaria a ti com beijos...

Entenderia perfeitamente, qualquer mínimo desejo...
Não seria só eu, mesmo assim um só, sendo dois...

"eu acho que seria você..."
Posso ser ?

[Pensamentos enquanto parado de Mininu_nu]
Não preciso estar no ônibus para pensar...

domingo, outubro 04, 2009

Lavando a Alma #2

Dizia um grande ícone do mundo alternativo:
"É a evolução, meu caro, é preciso adaptar-se ou desaparecer!"
[LíviaCardoso]


E eu havia dito, precisar lavar a alma...
Resolvi hoje trazer, o tal escrito, proveniente do sorriso, é o que eu espero para vocês.
Curiosamente, o google diz: "Sorte de hoje, Sorria. Isso basta"



Em todo o sentido de purificação, o fogo e a água estão.
E queima tudo o fogo, por dentro, toda sensação e sentimento...
endurece o pensamento, tornar-se experiente, preparado...
Alegra-me profundamente, conhecer o caminho, mesmo que eu esteja no desvio...
Tenho a alma, irresoluto, por alguns instantes...
E quem tem alma, vai entender...
Água,
Apaga o fogo, livra-se da servidão.
Descobre no próprio sorriso uma razão, para amadurecer...

[Pensamentos em ônibus de Mininu_nu]

quarta-feira, setembro 30, 2009

A importância que tem...

Um novo post e como sempre eu só paro para pensar no ônibus...
Ai pensei nela... [Para Joanecléia, com carinho...]

Prólogo:
"Queria um dia dizer a importância que tem... Pensei até em desculpas, sequências infortunas, qualquer coisa para justificar... Pensei em falar, mas definitivamente... eu queria escrever.... Como uma flor e um cartão, a te entregar.... a me entregar..."


" Houve ela, ouve ele..."
[Pensamentos em ônibus de Mininu_Nu]


Simples assim?!
Pense na maravilha do verbo haver, ele pode ser:
- Existir, Estar, Falar, Ter, passar... [Dá para usar infinidades]
A resolução:
Ela existe, eu a ouço, como uma maravilhosa canção...
ela está e eu a ouço, aonde quer que vá, tem minha atenção...
ela fala eu a ouço, a voz que acalma, pacifícia, as vezes destrói...
ela tem, tem a mim, perdido, esquecido, mas tem...
ela passa... eu sinto muito... tornar você passado é a única coisa que não quero deixar...

terça-feira, setembro 29, 2009

Desolação ?

É quando visitamos um amigo, por qualquer meio...
Faço isto para matar a saudade, Susan é um pouco antigo, mas sobreviveu.
O que era ali como recado, agora torno-o público.

Para Susan com carinho: [A possuia... Desolação como frase?]
[Estava com pensamenos felizes e impossíveis no ônibus.... acho que inspirei...]


O que seria a desolação?
Um passo a mais na vida...
Um pouco mais próximo do chão...
Sente o gosto amargo das desgraças?
Sente a dor cortar o peito, faltar o ar... desol"ar"...
Preocupa-te agora, como a clichê revolta...
"você vai sobreviver..."
e não é só por agora...

[Pensamentos em ônibus de Mininu_Nu]

domingo, setembro 27, 2009

Lavando a Alma....

Quando conversava com uma pessoa que mora em portugal, um sorriso surgiu, tímido, sem força... Parei para postar então o motivo... Lavar a roupa suja [mente suja]... E existem 2 versões deste... a primeira é ainda um pouco triste, mas aguarde em breve posto a que surgiu com o sorriso..



"Ah, inveja... a minha pessoa não me quer... Precisaria lavar a alma, e na alma, não são manchas que tenho que esfregar... é uma vida inteira, estes dias, de tanto esfregar... desbotou... ficou sem graça... Será que ainda é alma? Confuso, gostaria de vê-la... Preencher o vazio... "


Procurando lavar a alma.... quem sabe em um banho não me liberto? Mas...
Seria mentira, seria impossível falar que não a desejo.

Manutenção 2 ...

Desta vez, o blog não saiu do ar...


A ultima informação do contator no momento que eu fiz a primeira manutenção era "150" ... olhe onde estamos agora...


Além do Layout novo, NÃO estou revendo "os portugueses" que me fogem constantemente durante a escrita do blog. E sim, estou aceitando dicas de como melhorar este Blog Aqui...

Aguardo vocês em breve...
Depois comentem o resultado. Esse é o Post.

terça-feira, setembro 22, 2009

Aprendendo sobre você...


Eu tenho aprendido com você...
Tudo que pode te ensinar deve ser tratado com jeito... veja, quando a levei para a cama, peguei-te com jeito, abri a ti firme e não desconcentrei; penetrei em seu mundo; invadi e ali fiquei...
Aprendi dois ou três bocados. Já sem jeito, aprendi e depois do aprendizado, descartei, retornas-te à “prateleira”.
[Pensamentos em ônibus de Mininu_nu]
[To falando do livro que eu comprei na Bienal...]


Não só de histórias feitas estou vivendo, pelo contrário, construo a cada dia, mais um momento.
Tem sido difícil, mas não pretendo desistir, já deixei tanta coisa para trás e hoje me arrependi. Desejo-a próximo. Quero-a em mim...

Apareça ainda hoje, passe esta noite aqui.