terça-feira, abril 13, 2010

Águas de Abril !?




Nada em especial vi nas constantes chuvas aqui do RJ. Nada de especial pareceu, um número de mortes igual a qualquer outra cidade que possuía alagamento. Tanta repercusão é devido a proximidade das eleições?

"Não venho defender lado político e não tomo partido da dor..."

Demorei a escrever por estar cansado, pois mesmo após as águas o Rio permanece alagado. São sofás, árvores, lixo e terra [lama]. Esses citados de diferente só a Lama pois o resto já havia nos rios e demais. Novamente ocupam as estradas, econstas, rios, e tudo mais que imaginar. Vi tanta tristeza e desabrigo que de inocente não havia. Cruzei a Grajaú->Jacarepaguá no dia da paralização dos rodoviários [12/04], ali vi uma serra de acesso ao centro muito utilizada, os desmoronamentos e o outro lado da estrada foram tomados. Pergunto, "Quem olhou bem e viu que em determinados locais não se via Lama ou Grama, via-se LIXO"!? [A Grajau-Jacarepaguá é uma serra e o lixo não sobe ladeira]

Do local exato do desmoronamento do antigo lixão, lixo certamente havia, e o governo incentivou as construções, levou a culpa, e se não incentivasse, levaria também...
Há ainda quem lucrou com tudo isso, muitos mais do que a "charge" diria.


Em casa houve conversa e olhavamos céticos as notícias. A fiscalização deveria impedir a construção; mas, a construção está em terreno impróprio mas possui "base", ocorre o mesmo com os hotéis das encostas no carnaval, ou casas de ricos em local de preservação ambiental, é constitucional que se aquela for a única residência [CASA] e se não há para onde a pessoa ir, ela não poderá ser movida. [Os casos dos ricos até podem, mas quem tem dinheiro se resolve]. Que venham tragédias para que isso ocorra.

Quando morremos, tornamo-nos "santos", perguntam-se porque deixaram... onde está o governo? Porque não removeram antes aquela família? A culpa é de quem?



Espere, deixe-me repetir, para que reflitam bem: A CULPA É DE QUEM?

-> Comentários ? <-

[Jogando meu sofá no Rio, por Mininu Nu]
Imagem: GoogleSearch / Glauco

4 comentários:

flor disse...

Boa reflexão...pois é fácil ao assistirmos os noticiários colocarmos a culpa no Governo e nos isentarmos das responsabilidades ...é preciso refletir sobre as nossas escolhas e agir , sem se acomodar !
Bjoksss
;)

C. disse...

Olha, eu sinceramente nunca tinha pensado dessa maneira. E agora estou realmente com dúvida de quem é a culpa...
ótimo raciocínio o teu :)

Jaime Guimarães disse...

Olá!

Bom, primeiro eu quero agradecer a sua visita e os comentários inteligentes feitos lá no Grooeland - inclusive no post sobre o "trânsito nosso de cada dia". Aqui em Salvador sei que a jornada dos condutores de ônibus não é das mais suaves e nem o salário é dos melhores - mas aqui há um agravante que é a péssima educação de parte considerável da população e da péssima formação que os condutores recebem nas auto-escolas ( isso é sério: o que tem de motorista por aqui que não segue leis básicas de trânsito e não sabe o que é uma preferencial não está escrito).

Bem, sobre as chuvas.

A população tem sua (grande) parcela de culpa.Jogar lixo nas ruas, sofás, pneus, latinhas de cerveja e refrigerante...uma vergonha.

Eu ainda creio que nessas horas é preciso dividir as responsabilidades. Vou citar um exemplo aqui mesmo de Salvador: o prefeito liberou a construção de um condomínio de luxo em área ambiental. Deu briga com os grupos ambientalistas, IBAMA, mas sabe como é, dinheiro na jogada faz 'milagres'. Resultado: com aquele monte de concreto, a água acabou invadindo uma das principais vias da cidade, que sofre com os congestionamentos constantes com qualquer chuva - e agora com esse "dilúvio" que vem caindo por aqui nas últimas horas, piorou. E parte dessa água, sem ter pra onde escorrer, acabou invadindo algumas casas do outro lado da via, que até então nunca tiveram problemas com inundações.

Uma única decisão, desastrada, do prefeito acabou atingindo algumas famílias. Para se liberar uma área e fazer estudos sobre a viabilidade de construções no local o poder público está ciente, mas uma área irregularmente ocupada os governos não sabem? Tenho um exemplo aqui próximo de casa: alguns moradores alertaram para as invasões que estavam acontecendo em um morro aqui perto. Ligaram inclusive para a defesa civil, para a prefeitura, até para emissora de rádio. O que foi feito? Nada. Hoje, da hora que eu escrevo, soube de dois deslizamentos de terra no local e barracos atingidos. mão dupla: as pessoas que estavam ali sabiam dos seus riscos e o poder público nada fez.

Olha, é difícil...é uma combinação de irresponsabilidades e assim vamos caminhando. Ano que vem, no mesmo período, estaremos falando sobre isso também.

Um abraço e valeu pela visita e comentário! =D

Fabiana Folly disse...

Não achei seu ponto de vista tão diferente do meu. Claro que temos a tendência a colocar a culpa em alguém, mas no caso das enchentes temos uma serie de fatores que agravaram ainda mais um fenômeno natural chamado CHUVA. Primeiro com tanto blá, blá, blá tecnológico ninguém previu tanta ÁGUA num dia só, o sistema de escoamento é falho (há anos todos sabem disso)a população é porquinha sim e joga lixo nas ruas, por razões sociais antigas o povo constrói casas em encostas perigosas, ninguém tira de lá e ainda faz campanhas políticas em busca de votos, ai depois acontece o que aconteceu infelizmente.
Mas como escreveu aqui em cima meu amigo Jaime Guimarães ano que vem estaremos aqui discutindo o mesmo assunto...
Beijos