segunda-feira, junho 20, 2011

♪ Eu tô na pista ! ♫

Essa vida de ciclista me trouxe momentos em que eu me senti bem e momentos em que me frustei. Então começo a história e a experiência, uma reflexão que serve em outros aspectos da vida. E claro, para que todos entendam [principalmente as mulheres], usarei referência da frase abaixo.

Assim como na novela -> Cauã Reymond, ciclista na novela Passione ... Eu também fui para o velódromo do Rio de Janeiro.

Era um fato, não conseguia entender porque é que as estatisticas eram tão baixas no velódramo e as bikes fixas eram tão diferentes das de rua. Lia noticias de velocidade média de 49km/h por 1h, com bicicletas levíssimas, atletas renomados fizeram-me acreditar que eu também era um atleta, afinal nas ruas eu ando constante a 30-35km/h por cerca de 30,40km de distância. Considero uma média boa, mas que ainda posso melhorar MUITO.

Frustração
As explicações dessa crença deram-se quando cheguei lá. Tomei 9 voltas do pessoal que usava equipamnto iguaal ao meu. Tudo bem... Minha primeira vez e é natural essa sensação de incapacidade no início. [Foi que nem sexo, na primeira nunca sai uma maravilha, e erramos as coisas simples].

Bem comigo mesmo
Pelo menos descobri que conseguimos andar num plano inclinado à 45º, e que há coisas desconhecidas por nós mesmo dentro do que já julgamos dominar, um alição de humildade bem recebida. A experiência de esforço, instrução e repetição do velódromo foi ótima, acabou com o meu ego e reduziu meu orgulho. Pela primeira vez fiquei feliz em ser passado para trás [não computando os momentos de safadeza]. Essa ideia de competitividade e despreparo me estimulou e muito.

Agora pretendo associar esses estimulos a outros aspectos da vida, procurar o estopim, dispará-lo e mudar drasticamente a vida. Quem sabe eu não consigo passar em cálculo, física, química e ciência de materiais assim!?

"Agora eu vou, curtir a vida na moral...
Eu tô na pista, quero ver me segurar...
Eu tô na pista,
Dessa vez é pra valer"


## Parte técnica.

Pretendo comprar uma bicicleta de pista, Fixie. Comecei buscas por peças, videos.
Vou até montar uma bike nova com esses detalhes:

Quadro Fuji Track [2.0 ou PRO] tamanho 56
Garfo - Alumínio
Rodas 700c - ainda por definir
Relação - Coroa 48 x pinhão fixo 16/Roda livre 14
Roda traseira fechada por disco
Guidão BullHorn com Clip


Utilizarei um banco igual a da minha MTB, que é bem confortável... Não precisa de mais nada... isso é uma fixa, "hehehe"! [Obs.: Para quem achou a relação pequena, experimente andar no velódromo, é muito mais difícil do que nas ruas]

[Na Pista por Mininu Nu]

3 comentários:

Tânia Meneghelli disse...

É assim mesmo, rapazinho. A gente sempre acha que já sabe tudo, mas quando vai lá conferir in loco, percebe que o babado é forte.

Você me deixou orgulhosa com sua conclusão sobre a primeira experiência no velódromo. Entendeu que precisa se aprimorar, aprender mais e é assim que, com certeza, vai chegar lá. Essa é a grande diferença que há entre quem é (ou será) bom de verdade em alguma coisa e quem faz algo só por fazer.

Era só o que me faltava... Além de feioso e chato, agora é um nerd sobre duas rodas. Seu irritante! Tsc.

Beijoca, cricri!

Helena disse...

Rá! Ele assiste novela então? =P

Não se preocupa, não. Tenho certeza que, se vc quiser realmente, vai atingir seu objetivo. Tudo é questão de força de vontade.

Saudades.
Bjão.

raioX - da Tin disse...

ahahaha... vou copiar o comentário da Helena :

Rá! Ele assiste novela então? =P
( isso é por minha conta... seu brega...rs)

Mas legal esse negócio ai hein? Imagino que voce descobriu que pedalar na rua é diferente graças as dores musculares do dia seguinte ao velódromo , mas é verdade, ficar em 45° graus e se manter deve ser algo difícil e exige muito mais do preparo físico. Gostei da bike que vc quer , bem linda ela e parece ser bem leve ... não sou dessa turma que pedala mas acho legal ver os meninos e suas pernocas saradas passando ao meu lado no trânsito ..rs.
Vai contando pra gente essa história ai . Beijo da Tin ;D